Artigo do Perondi – Vitória da esperança

O povo brasileiro, aquele que se aposenta com salário mínimo (em média R$ 1.600,00) e não com os R$ 29 mil do Judiciário, nem com os R$ 30 mil do Ministério Público, está querendo enxergar nos sinais de recuperação da economia, do emprego e do controle da inflação razões para acreditar na melhora da situação do País.

Aqueles que pontificam sobre economia, na tribuna parlamentar ou na mídia, negando ao governo do presidente Michel Temer qualquer mérito pela recuperação desses e outros indicadores, cometem uma ‘oração sem sujeito’, proclamam um ‘milagre sem santo’, desenterram o mito da ‘geração espontânea’. Afinal, num país de forte tradição centralizadora como o nosso, a pessoa que está sentada naquela cadeira do Palácio do Planalto, tem, sim, enorme influência nos rumos econômicos, para bem ou para mal. Dilma Rousseff, por exemplo, teve forte influência para o mal, ao dar início à pior crise da história do Brasil, e por isso foi sacada do poder, com a aprovação de seu impeachment, respaldado pela Constituição Federal.

A recente valorização do real em face do dólar, o saldo positivo da geração de empregos no primeiro semestre deste ano (pela primeira vez desde 2012), a inflação abaixo da meta do Banco Central e a queda consistente da taxa básica de juros abaixo de dois dígitos – tudo isso prova que este governo, liderado pelo presidente Michel Temer, exerce sua influência para o bem do Brasil. Só quem insiste em não enxergar nada disso é a oposição, em conluio com as corporações privilegiadas do setor público e da aristocracia sindical, que fogem da reforma previdenciária e trabalhista como o diabo da cruz.

O presidente Michel Temer, homem honrado, com pouco mais de um ano de governo, já garantiu seu lugar na história do Brasil como o mais reformista dos governantes brasileiros de todos os tempos – apesar de todas as dificuldades que herdou depois de 13 anos de lulopetismo incompetente, esbanjador e corrupto. E é isso que seus inimigos, dentro e fora desta Casa, não perdoam. Por isso, procuram fabricar crises políticas e denúncias sem fundamentos e bases consistentes.

Em sintonia com essas aspirações da massa do povo brasileiro, de quem são os legítimos representantes, os deputados federais, em sua grande maioria, vetaram a inepta denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer, reafirmando seu apoio ao Executivo nesta obra de reconstrução nacional.

Esta denúncia foi fruto de um criminoso confesso, Joesley Batista, dono do Grupo J&F, e de corporações públicas que não querem perder seus privilégios com a reforma da previdência.  Armaram para o presidente Michel Temer, homem sério e íntegro. A rejeição da denúncia pela Câmara foi uma vitória do Brasil, do Parlamento e, acima de tudo, da esperança.



1 comentário em “Artigo do Perondi – Vitória da esperança

  1. DR Perondi: Quero saber se a MP nº783 vai continuar beneficiando somente os grandes ou foi feita uma correção para que as Micros e pequenas empresas e o Simples nacional também poderão ter seu beneficio,fica aí a pergunta no ar?????
    Att
    Preci
    TENENTE PORTELA RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *