Câmara enterra denúncia e Temer pode avançar nas reformas

Não houve surpresas e a Câmara dos Deputados conseguiu os votos necessários para enterrar a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, apresentada pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. Com isso, Temer não será julgado pelo Supremo Tribunal Federal e a denúncia só será analisada após ele deixar o cargo, em 2019. A vitória na Câmara dá força para que o Presidente continue trabalhando para tirar o Brasil da maior crise política e econômica de sua história e avançando nas reformas necessárias, como a da Previdência, a política e a tributária. Foram 264 votos pelo arquivamento da denúncia, 227 a favor e duas abstenções.
O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líder do Governo, um dos parlamentares mais engajados na defesa de Temer, comemorou a vitória. Segundo o parlamentar, esta denúncia foi fruto de um criminoso confesso, Joesley Batista, dono do Grupo J&F, e de corporações públicas que não querem perder seus privilégios de aposentadorias precoces e milionárias e que trabalham contra a reforma da previdência.  “Eles armaram para o presidente Michel Temer, homem sério e íntegro. Com esta decisão da Câmara, ganharam o Brasil, o Parlamento, a esperança, os doentes, os empresários e os desempregados. Venceu a energia positiva que está tirando o Brasil da UTI. O Brasil vai fechar o ano sem recessão e 2018 será ainda melhor. É duro reformar o que está muito ruim, por isso estou feliz pelo homem Michel Temer e pelos brasileiros”.
Ainda segundo Perondi, o Brasil vive um momento de transformação, de recuperação da economia, de redução da inflação, dos juros e do desemprego, e batendo recordes seguidos na balança comercial. “O presidente Michel Temer precisa continuar trabalhando e fazendo as reformas que vão dar sequência a esse processo de recuperação e de pacificação do País”, completou.
Texto: Fábio Paiva

Foto (Luis Macedo/Câmara dos Deputados): Perondi foi um dos parlamentares que mais trabalharam na defesa de Temer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *