Para Perondi, oposição não pode afundar o País

O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), primeiro vice-líder do Governo, está empenhado em garantir quórum nas sessões da Câmara e dar normalidade aos trabalhos legislativos e não paralisar o País diante da crise política. Em pronunciamento no plenário, afirmou que a Casa não pode parar, precisa manter a ordem constitucional e votar todas as 16 medidas provisórias que estão na pauta, inclusive oito que estão com prazo de validade no limite. Para Perondi, a obstrução promovida pela oposição pode prejudicar seriamente o Brasil. “Qualquer outra possibilidade é de fato golpe e vai afundar o País”, alertou.

Segundo Perondi, existem medidas provisórias fundamentais, como a que liberou as contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, cuja validade expira no próximo dia 1º de junho. Até o momento, somente os nascidos entre janeiro e agosto foram contemplados e conseguiram fazer o saque. Se a MP não for votada, serão prejudicados milhões de trabalhadores nascidos entre setembro e dezembro, e que injetariam R$ 42 bilhões, recursos importantes para movimentar a economia.

“Hoje faço uma convocação. Nós temos medidas provisórias fundamentais. Uma delas é da conta dos inativos do Fundo de Garantia, que o Governo do PT, em 13 anos, não quis fazer, possivelmente para preservar as construtoras que queriam o dinheiro. Então, se essa medida provisória não for votada hoje, milhões e milhões de brasileiros — a metade ainda não recebeu — não verão o dinheiro das contas inativas. Eu sei que o PT não vai obstruir”, afirmou Perondi.

Os saques das contas inativas do FGTS já superaram R$ 24,4 bilhões para trabalhadores nascidos entre janeiro e agosto.

 

Texto: Fábio Paiva

Foto  (Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados)

Foto (Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *