Rota Jesuítica das Missões será aberta ao Mundo

São Miguel das Missões sediou a primeira reunião do Conselho Executivo da Rota Internacional Jesuítica da América do Sul, integrada por Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia. Participaram, além de lideranças políticas e empresariais da Região, os ministros do Turismo, Marx Beltrão, e do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, além do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líder do Governo na Câmara Federal, e do governador José Ivo Sartori. Durante o encontro, Beltrão assinou carta de adesão do Brasil ao Programa Global de Crédito do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para a Integração Regional dos Países da Bacia do Prata, com o objetivo de incrementar o turismo regional e abrir a Rota das Missões Jesuíticas aos turistas de todo o Mundo. A iniciativa prevê investimentos de US$ 100 milhões para os cinco países.

O deputado Darcísio Perondi destaca que a rota, que recebe cerca de 250 mil visitantes por ano em seus mais de 30 atrativos integrados, tem muito a crescer, principalmente depois da retomada de uma linha aérea comercial entre Porto Alegre e Santo Ângelo, cidade reconhecida como a capital das Missões. “Os jesuítas e índios Guaranis sonharam, nos séculos XVI e XVII, uma sociedade justa, igualitária, de oportunidades para todos. Que sirva de exemplo para todos nós, para termos sucesso nesse novo Brasil que está nascendo. Nós todos juntos seremos fortes, com convicção e esperança de um Brasil melhor e de uma América Latina integrada”, afirmou Perondi.

A expectativa é de que, em dois anos, o fluxo de turistas na parte brasileira passe dos atuais 100 mil anuais para 300 mil. Segundo informou Marx Beltrão, além de investimentos em infraestrutura turística, a rota jesuítica será amplamente divulgada em campanha publicitária prevista para ter início em 24 de agosto.

Os participantes do encontro aproveitaram para visitar as ruínas de São Miguel Arcanjo, em São Miguel das Missões, conjunto remanescente dos Sete Povos das Missões Jesuíticas na América e tombadas pela Unesco como patrimônio cultural da humanidade.

 

Texto: Fábio Paiva

Foto (Roberto Castro/MTur)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *