Vaticano vai promover turismo religioso no Brasil

A comitiva brasileira, liderada pelo ministro do Turismo Marx Beltrão, pelo vice-líder do Governo na Câmara, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), e pelo embaixador brasileiro Luís Felipe de Mendonça, depois de uma audiência com o Papa Francisco, que abençoou a Rota Jesuítica Guarani como destino turístico religioso no mundo, participou de reunião na Opera Romana Pellegrinaggi, onde funciona o Conselho de Turismo do Vaticano, comandado pelo Monsenhor Remo Chiavarini. A Opera Romana é a maior agência de turismo religioso do mundo e o objetivo é que ela passe a ofertar novos destinos brasileiros, inclusive a Rota Jesuítica, no Rio Grande do Sul. Atualmente, apenas Foz do Iguaçu, no Paraná, integra o roteiro comercializado pela agência da Santa Sé. “O Vaticano comprou a ideia. Agora cabe a nós, de toda a região Missioneira, fazer ela andar”, afirmou Perondi.

Segundo o ministro Marx Beltrão, o turismo religioso doméstico brasileiro registra cerca de 20 milhões de viagens por ano em mais de 300 destinos nacionais, movimentando cerca de R$ 15 bilhões. “O Ministério do Turismo está empenhado em fomentar o turismo religioso para impulsionar a economia. Apesar de termos um mercado interno aquecido nesse segmento, ainda há um amplo espaço para crescer em âmbito internacional”, destacou.

De acordo com dados oficiais, apenas 30 mil peregrinos estrangeiros vêm ao Brasil motivados pelo turismo religioso. “Muito pouco se comparado aos 25 milhões de brasileiros que fazem esse tipo de turismo”, afirmou Darcísio Perondi. Segundo o parlamentar gaúcho, a Rota das Missões Jesuíticas, que possui 30 sítios arqueológicos e atrações turísticas em três países, Brasil, Argentina e Paraguai, tem um potencial muito grande, desde que sejam investidos recursos em obras de infraestrutura turística. O Brasil, inclusive, assinou uma carta de adesão ao Programa Global de Crédito do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para a Integração Regional dos Países da Bacia do Prata, e que deve proporcionar empréstimos aos três países.

Além da Rota Jesuítica, Marx Beltrão também propôs que a Opera Romana Pellegrinaggi trabalhe outros roteiros no Brasil, como o Círio de Nazaré, em Belém (PA), a festa de Padre Cícero, em Juazeiro do Norte (CE), e as peregrinações a Aparecida do Norte (SP), Trindade (GO), Santa Cruz (RN), Ouro Preto (MG) e Nova Trento (SC). “Esse esforço do governo Michel Temer para estruturar e atrair turistas será fundamental para estimular a geração de emprego e renda. A iniciativa será de grande importância para fortalecer a economia de toda a região Missioneira, em meu Estado”, destacou Darcísio Perondi.

“Percebi ontem um Papa bastante entusiasmado. Ele é único, um jesuíta argentino, que conhece a importância da Rota Missioneira. E hoje, entregamos ao Monsenhor Chiavarini um mapa com o plano feito pela Fundação das Missões, com uma rota econômica para turistas, além de um conjunto de cestaria com obras Jesuíticas Guarani. Ele gostou, discutiu os custos e sugeriu que se agregasse uma atração da natureza. Disse que os peregrinos não viajam só pelo religioso, mas pela natureza também”, informou Perondi. Remo Chiavarini sugeriu a variação dos locais das atrações extras, a promoção de missas e orações ao longo da rota e ações conjuntas com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O ministro Marx Beltrão afirmou que, nos próximos 30 dias, vai contatar entidades como a Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV) e Associação Brasileira de Turismo Social (ABRASTUR), além de grandes operadoras, para começar a desenhar os roteiros que serão vendidos, inicialmente na Itália, e depois no resto do mundo. Marx Beltrão revelou ainda que técnicos do Ministério vão voltar às Missões, a pedido do BID, para especificar e detalhar as próximas ações a serem tomadas.

 

Texto: Fábio Paiva

Fotos: Roberto Castro/MTur

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *